Não parece nem que foi a primeira edição do SuperFórum de Varejo realizado pela DMCard e com foco no mercado supermercadista (mas que caberia bem para qualquer outro setor). Já me parece ser daquelas iniciativas que vem pra ficar no seu primeiro ano. Não é pouco, só quem organiza esse tipo de iniciativa sabe o desafio que é colocar isso de pé.

O auditório lotado e com facilmente mais de mil pessoas que olhavam atentamente os palestrantes que falaram sobre cenários econômicos e políticos e também com valiosos insights sobre a NRF(um dos principais eventos de varejo do mundo) mostrava a força desse setor que sofreu muito com a crise mas sobrevive com um país que é sim ávido por consumo e por novidade, mas que teve seu poder de compra minado por todo contexto político e econômico do país.

A gente vê o gap que vai surgindo do nosso varejo com os outros países e entende a importância e relevância desse tipo de iniciativa. Nós já falamos aqui sobre a DMCard – uma administradora de cartões de crédito de marca própria focada no varejo supermercadista e setor de materiais de construção.

Era nítido também entre todos os palestrantes o cuidado em reforçar aos presentes a importância de se quebrar paradigmas e entender que o que funcionou no passado pode não funcionar mais. Historicamente o varejo brasileiro vem de empresas familiares e que em alguma instância tem uma certa resistência ao adotar gestões mais profissionais e principalmente modernas.

Há ainda negócios de médio porte que tem o controle da empresa em planilhas de excel e que nem pensam em usar um sistema de ERP enquanto a gente vê na plateia do evento robôs da Amazon gerenciando o estoque.

No meio dos milhares havia muitas expressões de perplexidade, como se fosse um outro mundo. Mas não precisaria ser.

Tendências do varejo pós-NRF

Algumas tendências apresentadas soam tão atuais que parece até estranho tratá-las como algo a observar, mas algo como “olha você já deveria estar fazendo”:

  • Varejo global/crossborder
  • Pagamentos móveis e criptomoedas
  • Varejo customizado
  • Tecnologias emergentes
  • Amazon invadindo o varejo físico
  • Transformação digital e ecossistema
  • Redefinição do conceito de “loja”
  • Liderança digital

Sim o varejo está mais globalizado e tecnológico, e as empresas mais resistentes às mudanças são as que mais sofrem hoje para se manter de pé.

Fim do Checkout e das filas

E por fim dá para perceber que um dos grandes vilões do varejo hoje são as filas e principalmente o checkout que tende a desaparecer. Sabe quando você já tem o cartão cadastrado no seu UBER e você faz a viagem e paga sem colocar a mão na carteira?

É exatamente isso que o varejo busca hoje e pelo visto essa função estará cada vez mais próxima da vida das pessoas.

Agradecimento

E aproveito para destacar a atenção e cuidado da equipe de imprensa com os profissionais que estavam trabalhando lá e garantiram o suporte necessário para que esse conteúdo chegasse até você.

Por Armindo Ferreira Ultima Atualizacao 2 mar, 2018

Fonte: Blog do Armindo